Meu chefe me ignora, e agora?

Share

Meu chefe me ignora - e agora

Há quem sonhe em não trabalhar e receber salário. Entretanto, a maioria das pessoas gosta de se sentir útil em seu trabalho. Por este motivo recebemos diversas perguntas relacionadas à ociosidade forçado no trabalho. Meu chefe me ignora, e agora?

Sabemos que a principal obrigação do empregado durante o contrato de trabalho é prestar serviços. Já o empregador tem como dever primordial pagar os salários. Entretanto, estes não são os únicos deveres de cada uma das partes.

Outro dever de destaque do patrão é passar serviços aos seus funcionários. Caso o empregador não cumpra com esta obrigação, o funcionário pode ser, inclusive, indenizado. Isto é o que chamamos de ociosidade forçada.

Empregado colocado na geladeira

É mais comum do que parece, o empregador punir o seu funcionário isolando-o do convívio dos outros ou deixando de lhe oferecer serviço por conta de alguma atitude que tenha desagradado a chefia.

O termo popular para isto é ser colocado na geladeira. Vemos bastante este termo sendo utilizado para alguns artistas de determinadas emissoras de televisão que ficam muito tempo sem ser chamados para projetos.

No ambiente diário de trabalho de pessoas que não são artistas, isto pode gerar indenização ao empregado.

Meu chefe me ignora, e agora?

De acordo com entendimento dos Tribunais Trabalhistas, o empregado que é isolado dos colegas pelo empregador ou que não recebe serviços, tem a sua dignidade ferida causando dano à sua moral, com base no princípio da dignidade da pessoa humana esculpido pelo art. 1º, III, da Constituição Federal.

Para conseguir a indenização, o empregado deve mover uma reclamação trabalhista e comprovar a situação vivenciada.

Assim, se você já se fez a seguinte pergunta: “meu chefe me ignora, e agora?”, saiba que você pode ser indenizado pelos danos morais sofridos. Enquanto estiver vivenciando a situação, junte provas documentais ou testemunhas para se preparar para a ação judicial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *